Matemática nas Escolas de Itapema

Publicidade

Itapemática dinamiza o ensino nas escolas municipais.

Despertar nos alunos o gosto pela matemática não é tarefa fácil, porém a Escola Municipal Bento Elói Garcia, no Bairro Morretes, e a Escola Municipal Joaquim Vicente de Oliveira, no Bairro Tabuleiro das Oliveiras, provam que o ensino dos números nunca foi tão prazeroso. Graças ao projeto Itapemática,  a realidade nas duas escolas a realidade é diferente. Desenvolvido pela Secretaria Municipal de Educação e coordenado pela Professora Mônica Soltau da Silva o projeto propõe o uso de materiais reciclados como matéria-prima para o desenvolvimento dos jogos educativos de matemática. Além disso, as atividades mudam a rotina escolar e a torna mais atrativa para os alunos.

Matemática nas Escolas de Itapema

Matemática nas Escolas de Itapema

A aluna Isabela dos Santos Varela, do quinto ano da Escola Municipal Joaquim Vicente de Oliveira, achou bem interessante a ida do projeto para dentro da sua escola, ainda mais voltado à Matemática, “É uma matéria que a gente tem um pouco de dificuldade na nossa sala”, expõe. Já a sua colega de classe, Isabele Bandeira Sezimbra contas que depois da implantação do projeto na sua escola a sua turma está conseguindo fazer as atividades mais rápidas, “Estamos mais atentos com as coisas, tipo pegadinhas que a professora passa no quadro”, destaca.

Matemática nas Escolas de Itapema

Matemática nas Escolas de Itapema

Katia Largura conta que o Itapemática foi um divisor de águas no aprendizado de seu filho, João Pedro Largura, aluno do quinto ano da escola Municipal Bento Elói Garcia, “João Pedro tinha muita dificuldade em matemática, neste período fez uma prova e tirou nota 3, começou a participar do projeto e na sua prova de recuperação a sua nota passou de 3 para 10. Com a Itapemática ele realmente conseguiu ter uma grande evolução e aprendizado que trás até hoje no sexto ano. É um projeto que além de auxiliar no aprendizado dos alunos e o trabalho em equipe trás a união da família, porque fim de semana os pais podem jogar juntos com seus filhos que também é um grande incentivo. Sou grata por todos que fazem parte”, salienta.

“É mais divertido poder jogar e ao mesmo tempo aprender” frisa a aluna do quarto ano da Escola Municipal Joaquim Vicente de Oliveira, Isabela Augustinho Pedroso. Segundo a Diretora da Unidade, Claudia Pizza, o Projeto Itapemática vem para somar o aprendizado dos alunos e que mesmo sendo voltado para a Matemática tem professores utilizando das técnicas para auxiliar em outras temáticas, “O projeto está sendo muito bem aceito tanto pelos alunos quanto pelos professores e têm professores expandindo para outras disciplinas. Então a aprendizagem está sendo de uma forma prazerosa e a gente está vendo a criatividade dos alunos e seus desempenhos. As aulas saem da rotina”, enfatiza.

A Professora Raquel P. Borges, do quinto ano da Escola Municipal Bento Elói Garcia relata que a princípio ficou um pouco receosa de colocar dentro da sala de aula algo que vai demandar mais tempo, mais energia, mais organização e mais movimento. Um medo em trabalhar com algo que tire a organização padrão que se tem em sala de aula. “ Quando começa a fazer as conexões com que a gente está aprendendo e o que a criança está produzindo, parece mágica. De um dia para o outro aquilo se transforma de abstrato para concreto, de memória curta para memória longa, de novidade para aprendizado. Já trabalho com o Itapemática desde o ano passado, eu tenho alunos que a família já percebeu que fez a diferença. Já teve alunos que estudou só através dos jogos para fazer recuperação paralela e tirou nota máxima”, evidencia.

Fonte

Prefeitura Municipal de Itapema
Imagens: Arquivo PMI

Publicidade